Tipos de partos

Publicado em 23 de julho de 2009, quinta-feira.

É o momento do nascimento do feto, quando esse sai da proteção do útero materno para vivenciar novas experiências no mundo que lhe é apresentado. O parto gera muitas expectativas nos pais, em especial se irá ocorrer tudo bem, se irá durar muito tempo, entre outras preocupações. Existem vários tipos de partos, cabe ao médico e à paciente escolherem o mais adequado. É muito importante para a mulher que o pai da criança esteja presente na hora do parto, pois é uma forma de demonstrar que ele está presente e que a mulher o terá ao seu lado na criação do filho.

Normalmente o tipo de parto é escolhido de acordo com a posição do feto, considerando também a vontade da mãe. Muitas complicações geradas durante o parto foram diminuídas consideravelmente com a criação de novas técnicas e pelo fato da mãe fazer o pré-natal corretamente. É extremamente importante que a gestante faça o acompanhamento médico de forma a evitar riscos para o bebê durante seu nascimento.

Parto Cesáreo

A cesariana é um procedimento cirúrgico que envolve um corte no abdômen para a retirada do bebê. O corte transversal de 10 a 15 cm é feito dois dedos acima da região dos pelos púbicos. Corte este, que abrange sete camadas até chegar ao útero. O bebê é retirado pelo médico suavemente. Posteriormente a placenta é removida e o corte é fechado com pontos. A cesariana por ser um procedimento cirúrgico é antecedida de anestesia peridural, nessa o anestésico é injetado por fora da espinha, ou intradural, o anestésico é injetado dentro da espinha.

A cesariana geralmente ocorre após a 37ª semana de gestação. Dura cerca de 1 hora. Após esse tempo a paciente permanece em observação por 1 hora antes de ir para o quarto. A alimentação é iniciada após 6 horas. É um tipo de parto que proporciona à mulher, escolher o dia do nascimento, fazer laqueadura na mesma cirurgia, realizá-lo no mesmo dia da internação, durante o trabalho de parto e, além disso, não sentir as dores características desse.

Embora ofereça vantagens, é um parto que requer maiores cuidados com assepsia e oferece maiores complicações, como risco de infecção materna e de o bebê apresentar problemas respiratórios, já que se trata de uma cirurgia de grande porte. A alta hospitalar ocorre 72 horas após a cesariana. A recuperação é bem mais demorada do que em outros tipos de parto. A mãe pode sentir dores ao rir, chorar e ficar de pé.

Parto de Cócoras

Desde os tempos mais remotos, as mulheres têm procurado novas formas de ter um parto mais fácil, seguro e confortável, tanto para elas quanto para o bebê. Inspirado nas formas de parto indígenas, o parto de cócoras é semelhante ao parto normal, no entanto, a diferença está na posição em que a gestante fica: de cócoras, ou seja, agachada. A posição de cócoras oferece várias vantagens, como o fato do parto ser mais rápido devido ao auxílio da gravidade e a oxigenação do bebê ser melhor. Neste tipo de parto, a mulher geralmente se apóia nos ombros e braços de seu companheiro, fazendo com que o mesmo tenha um papel decisivo tanto no lado físico quanto psicológico. É colocado também, um espelho para que a mulher possa acompanhar o nascimento e ser visualmente estimulada para o processo de expulsão.

Parto Leboyer

O obstetra francês Frederic Leboyer apresentou esse tipo de parto na década de 70. O parto Leboyer é uma filosofia de assistência ao parto, criado para acolher a mãe e bebê, em um momento que exige muita energia dos dois e muitas vezes não se tem conhecimento prévio sobre o trabalho de parto. O parto Leboyer é realizado com as seguintes condições: pouca luz para não incomodar o bebê; silêncio, principalmente após o nascimento; banho próximo a mãe após o nascimento que pode ser dado pelo pai; ambiente quente, como por exemplo, o abdômen da mãe, a fim de atenuar o impacto da diferença entre o mundo intra-uterino e o extra-uterino.

Parto na água

Tal método consiste na preparação de uma banheira com água morna (36ºC) na qual a gestante permanece. Nesse tipo de parto, o ambiente fica à meia luz, sendo que o pai ou acompanhante tem a opção de ficar dentro da banheira com a mulher. Casos de acidentes envolvendo o método são raríssimos, e se comparados aos outros tipos de partos, onde também podem ocorrer acidentes, o parto na água é seguro.

Envie sua mensagem

Copyright 2015 © Bem de Saúde - Todos os direitos reservados

As informações e sugestões contidas nesse site têm caráter meramente informativo, e não substituem o aconselhamento e o acompanhamento de médicos, dentistas, nutricionistas, psicólogos e profissionais de educação física.