Por que nós devemos ter cuidado com os Fitoterápicos?

0
631

A natureza é mesmo fantástica… Ela nos fornece tudo aquilo que precisamos para viver bem e com mais saúde!

Por isso, cada vez mais a medicina ocidental está se voltando para os remédios fitoterápicos e as terapias alternativas.

Porém, é também necessário ter cautela na utilização desses remédios e tratamentos naturais. Isso porque a utilização inadequada das plantas pode trazer uma série de efeitos colaterais.

Entre os principais problemas causados pelo uso indiscriminado e prolongado dos fitoterápicos estão as reações alérgicas, os efeitos tóxicos graves em vários órgãos e mesmo o desenvolvimento de certos tipos de câncer.

Mas antes…

Você sabe o que são fitoterápicos?

De acordo com a Anvisa, fitoterápicos são medicamentos naturais, feitos a partir de matérias primas vegetais. Medicamentos que incluem apenas o princípio ativo de substâncias naturais ou que se misturem com substâncias sintéticas já não são considerados fitoterápicos.

No caso do medicamentos fitoterápicos, são utilizados os princípios ativos de algumas plantas, de modo a auxiliar no tratamento ou na prevenção de doenças. Em outras palavras, as propriedades medicinais e terapêuticas são extraídas da planta em questão, pode ser das folhas, das raízes, sementes ou flores.

Depois disso, essa substância pode ser manipulada, industrializada e, nesse caso, passar por um processo de padronização.  No Brasil, o órgão responsável por garantir a padronização, segurança e qualidade dos produtos é a Anvisa.

A grande vantagem deste tipo de tratamento é que os efeitos colaterais são muito menores – e em alguns casos inexistentes – e os benefícios podem ser inúmeros. Justamente por isso, são cada vez mais buscados e recomendados por alguns médicos.

Porém, como todo e qualquer medicamento, os fitoterápicos tem seus prós e contras…

fitoterápicos
Fitoterápicos: vilões ou mocinhos?

Por que é preciso ter cuidado?

Existe um antigo ditado que diz o seguinte: “a diferença entre o o veneno e a cura está na dose“.

Apesar de antigo, esse ditado é válido para qualquer substância ou medicamento, inclusive para os fitoterápicos. Isso porque, quando compramos plantas para uso medicinal, não levamos em consideração que algumas plantas são tóxicas e, quando ingeridas, prejudicam a saúde.

E embora muitas pessoas acreditem que tudo que vem da natureza faz bem – e que isso tenha um fundo de razão –  isso não é verdade como um todo…

Um bom exemplo disso é a planta ‘comigo ninguém pode‘, muito comum em casas e apartamentos. Apesar de ser uma planta vistosa e com folhas muito bonitas, se ingerida ela pode causar inchaço e dor. Em casos mais extremos, pode até matar.

Isso mostra que nem todas as plantas podem ser fitoterápicos. E até mesmo as que são, a quantidade e a dosagem fazem total diferença!

Outro ponto importante é a automedicação, que embora seja mais fácil no caso de medicamentos fitoterápicos, pode se tornar um problema. Isso porque a quantidade de princípios ativos contidos nas plantas pode variar de acordo com a idade da planta, a época da colheita e o tipo de solo.

Além disso, detalhes como a parte utilizada, as condições de estocagem e a manipulação desta substância também podem fazer a diferença.

De olho na dosagem!

Confira alguns fitoterápicos que podem ser tanto a cura quanto o veneno…

  1. Valeriana: Este é um fitoterápico fantástico e muito potente na hora de combater a insônia, a depressão e a ansiedade. Ao contrário dos medicamentos convencionais, não provoca dependência nem tolerância. Porém, se for ingerido em excesso e por um longo período pode ser tóxico para o fígado.
  2. Confrei: Tratamentos fitoterápicos à base desta planta foram muito comuns nos anos 80. Suas propriedades terapêuticas eram consideradas muito eficientes no tratamento de doenças como o câncer. Mais tarde se descobriu que ele possui uma substância que pode ser tóxica para o rim, e foi proibido seu uso interno. Porém, ele também possui ótimas propriedades cicatrizantes e pode ser usado externamente.

Usar ou não usar, eis a questão

Ter cuidado com o uso de medicamentos fitoterápicos não significa que você deverá parar de usá-los!

Na verdade, cada vez mais a medicina ocidental busca nas terapias alternativas, tratamentos naturais e menos agressivos à nossa saúde. Por isso cada vez mais médicos prescrevem tratamentos que misturam a alopatia, a medicina alternativa e a fitoterapia.

Isso porque os benefícios da fitoterapia são realmente muito maiores do que os prejuízos!

Porém, antes de começar um tratamento fitoterápico, busque se informar sobre a matéria-prima, se aquele tratamento é realmente o melhor e qual a dosagem recomendada.

Por isso, o acompanhamento médico e a compra de um produto registrado garantem um tratamento efetivo e seguro. Para uma melhor orientação, você deve buscar um médico que entenda sobre o uso de  fitoterápicos.

Outra recomendação é buscar sempre comprar o seu medicamento fitoterápico de um laboratório confiável. Deste modo você estará realmente aproveitando o melhor da natureza!

E-book Artrite Reumatóide 468x60px

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here