Você sabe a diferença entre Arritmia, Taquicardia e Bradicardia?

0
618
ritmo cardíaco

Não há dúvidas de que o coração é um dos músculos mais importantes em nosso corpo!

Ele é o responsável por bombear o nosso sangue para o resto do nosso corpo, garantindo o bom funcionamento de todos os outros órgãos!

Por isso, alterações no ritmo cardíaco, tais como a arritmia, a taquicardia e a bradicardia, devem ser investigadas!

Falando nisso, você sabe a diferença entre elas? Embora uma tenha a ver com a outra, elas são bem diferentes! Basicamente, essa é a diferença entre eles:

  1. Arritmia: Batimentos cardíacos irregulares (rápidos ou lentos)
  2. Taquicardia: Batimentos cardíacos acelerados (acima de 100bpm)
  3. Bradicardia: Batimentos cardíacos lentos (inferior a 60bpm)

Só que existem alguns outros fatores que podem interferir nisso….

Primeiramente, vamos entender um pouco mais sobre o funcionamento do coração!

Você pode gostar: Entenda a diferença entre a trombose e a embolia!

Entendendo o coração

frequência cardíaca
Antes de mais nada é preciso entendermos primeiro o funcionamento do coração!

Por mais que pareça o título de um livro de romance, aqui não vamos entendê-lo no sentido figurado, mas sim no sentido prático!

Tecnicamente, o coração funciona como uma espécie de bomba sanguínea. Isso quer dizer que ele se contrai e se dilata, fazendo o sangue circular pelo nosso corpo.

Esses movimentos de contração e relaxamento recebem nomes específicos: sístole e diástole, respectivamente.

Saiba mais: Você sabe a diferença entre colesterol HDL e LDL?

Primeiramente, acontece a contração (ou sístole) dos átrios, fazendo com que o sangue passe para os ventrículos.

Isso permite que aconteça o segundo movimento, o de relaxamento (ou diástole) da musculatura cardíaca. Isso faz com que os átrios se encham de sangue e reiniciando o processo de sístole.

Dito isto, o ritmo do coração é comandado pelo nó sinoatrial, ou nódulo sinusal, que funciona como uma espécie de marcapasso natural do coração.

É ele quem vai determinar a quantidade de batimentos por minuto (bpm). Dependendo do nível de atividade física, por exemplo, a frequência cardíaca pode variar.

Além disso, qualquer lesão nas células cardíacas pode gerar um impulso nervoso. Esse impulso, por sua vez, pode provocar a arritmia, a taquicardia ou mesmo a bradicardia, sobre as quais já vamos falar mais!

Saiba mais: Colocar sal embaixo da língua combate a pressão baixa?

Quais os valores normais de frequência cardíaca?

frequência cardíaca
Os valores de referência da frequência cardíaca podem variar de acordo com uma série de fatores!

Primeiramente, é preciso entender que uma frequência cardíaca normal oferece ao seu corpo a quantidade adequada da circulação sanguínea.

Vale lembrar também que os valores de frequência cardíaca podem variar de acordo com uma série de fatores, tais como:

  • Sexo
  • Idade
  • Estilo de vida (sedentário ou ativo)
  • Intensidade da atividade física
  • Condições pré-existentes (cardiomiopatias, obesidade, etc)

Entretanto, de maneira geral existem alguns valores de referência que ajudam a determinar se o coração está arrítmico ou não.

Saiba mais: O que é a nictúria e quais os sintomas?

Frequência cardíaca normal em adultos
  • Em repouso: Entre 50 e 80 BPM
  • Em movimento: Entre 100 e 190

Vale lembrar que esses são apenas valores de referência e, portanto, podem variar de acordo com os outros fatores.

Um exemplo disso, são os atletas, que por terem uma capacidade de bombeamento melhor, podem ter frequências mais baixas em repouso (algo entre 40 e 50 BPM).

Além disso, crianças também costumam ter uma frequência cardíaca maior que a dos adultos. Dá só uma olhada nos valores de referência!

Frequência cardíaca normal em crianças
  • Recém nascidos: Entre 120 e 140 bpm
  • Até 8 anos: Entre 100 e 110 bpm
  • Após 8 anos: Entre 80 e 100 bpm

Como você pode ver, diversos fatores podem alterar a frequência cardíaca. Vamos agora entender um pouco mais sobre a diferença entre a arritmia, a taquicardia e a bradicardia!

Você pode gostar: 6 sinais que você sofre com a artrite reumatoide!

1. O que é a arritmia?

arritmia
A arritmia se define por ser uma alteração da frequência cardíaca onde o coração bate mais rápido ou mais lento!

A arritmia se define como qualquer alteração do ritmo cardíaco. Isso abrange casos em que o coração bate mais rápido, mais lentamente ou mesmo de modo irregular.

Ela ocorre quando aqueles impulsos elétricos do coração – que falamos há pouco – não funcionam corretamente. Vale lembrar que em alguns casos, a arritmia não é motivo de preocupação!

Por exemplo, é normal que a frequência cardíaca se acelere durante a prática de atividades físicas e que diminua quando estamos em repouso.

Entretanto, se esta mudança de periodicidade dos estímulos for muito acentuada, deve-se buscar um médico! Eis alguns sintomas mais comuns da arritmia:

Saiba mais: Quando não se preocupar com a queda de pressão?

  • Sensação que o coração pulou uma batida
  • Sensação de batimentos acelerados ou lentos
  • Sensação de peito apertado
  • Tontura
  • Desmaio

Ela pode atingir qualquer pessoa em qualquer faixa etária, desde recém nascidos até idosos.

Entretanto, pessoas que sofrem de doenças cardíacas como a hipertensão ou a aterosclerose devem prestar mais atenção. Isso porque elas estão muito mais propensas a experimentar essas arritmias!

Se necessário, o tratamento inclui medicamentos antiarrítmicos, procedimentos médicos, dispositivos implantáveis e cirurgia.

Saiba mais: Saiba o que fazer em caso de desmaio!

2. O que é a Taquicardia?

taquicardia
Atividades físicas podem aumentar a frequência cardíaca, ocasionando, portanto, em uma taquicardia!

A taquicardia é um tipo específico de arritmia, no caso, quando o coração está mais acelerado que o normal.

Aparece quando a freqüência do ritmo sinoatrial é superior a 100 batidas por minuto. Em geral, estes são os sintomas da taquicardia:

  • Pulso acelerado
  • Batimentos acima de 100bpm
  • Sensação de falta de ar
  • Dor no peito

Entretanto, isso não necessariamente significa que a taquicardia representa um perigo para a sua saúde!

Saiba mais: Primeiros Socorros em caso de parada cardiorrespiratória!

Isso porque ela pode ser comum em crianças e em adultos saudáveis depois de realizado um esforço físico ou após uma emoção. Na verdade, até mesmo o consumo exagerado de café ou outras bebidas energéticas pode causar a taquicardia.

Nesses casos, a pulsação e o ritmo cardíaco tendem a voltar ao normal dentro de alguns minutos. Entretanto, em casos de pessoas que já apresentam alguma condição cardíaca específica, é preciso prestar atenção!

É o caso, por exemplo, de pessoas que sofrem de insuficiência cardíaca ou outras miopatias, de anemia ou outros traumas com hemorragias. Em casos como esses, quando não é tratada a tempo, ela pode levar ao infarto.

Por isso, caso você já tenha alguma condição de saúde e experimentar uma insistente sensação de taquicardia, não hesite em buscar um médico!

Saiba mais: 5 razões para usar a Moringa no tratamento das dores!

3. O que é a Bradicardia?

bradicardia
Embora não pareça, a bradicardia, ou seja, quando os batimentos ficam abaixo do normal, pode ser muito perigosa!

Por fim – e diferentemente da taquicardia – a bradicardia acontece quando a frequência do ritmo sinoatrial é inferior a 60 batidas por minuto.

E para quem acha que isso é melhor do que a taquicardia, pense de novo! Os sintomas mais comuns incluem:

  • Sensação de letargia
  • Dor no peito
  • Tontura
  • Vista embaçada
  • Desmaio

Existe uma forma benigna que se apresenta especialmente na juventude, no período seguinte ao parto, por exemplo. Nesses casos, não há tanto motivo para preocupação!

Entretanto, uma forma mais perigosa acompanha algumas doenças, como a febre tifoide, a meningite e certas icterícias. Em outros casos, aparece depois de um infarto ou da administração de certos medicamentos e durante a convalescença de diversas doenças infecciosas.

Saiba mais: Como reconhecer os sintomas da impotência sexual?

Caso você desconfie que algo errado está acontecendo aí dentro do seu peito, não hesite em buscar um médico! Como diz o velho ditado: “prevenir é sempre o melhor remédio“!

Você achou este artigo útil? Deixe o seu comentário pra gente aqui embaixo!

E-book Artrite Reumatóide 468x60px

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here